A governança de dados está na dianteira da transformação

Governança de Dados

 

Há dois tópicos que chamam nossa atenção no momento: a explosão do interesse em “transformação digital” e governança de dados.

 

De onde surgiu a frase “transformação digital”? Por que ela ultrapassou todos os outros assuntos deste ano e como isso difere do que estávamos fazendo anteriormente?

 

 Dados de tendência do Google mostrando o uso da frase "Transformação de dados" nos últimos 5 anos:

 

 

Google Trends - Governança de Dados

 

Transformação digital se refere a:

 

1. Mover-se em direção à excelência do serviço, com uma verdadeira abordagem multicanal, tendo como padrão a abordagem digital, independentemente da plataforma que um cliente está usando;

2. Conhecer o seu cliente e garantir que as suas necessidades prioritárias em tudo o que você faz;

3. Adaptar nossos negócios à visão atual de centralização no cliente. Fazer isso é fundamental e traz lições de marketing para aperfeiçoarmos a experiência do cliente

4. Nossos clientes querem consumir serviços e comprar produtos no momento que lhes convier, usando seu dispositivo digital mais próximo para desfrutar de uma experiência “por demanda”, intuitiva e sem atritos.

 

 

Governança de dados: uma mudança irreversível

 

A verdadeira mudança que estamos percebendo aqui é como e quando nossos clientes esperam interagir com um negócio que, por sua vez, está sofrendo pressões de outras empresas e dos governos para mudar a maneira como prestam serviços aos consumidores. É difícil crer que essas demandas sejam atendidas apenas por meio do envolvimento de equipes internas de Vendas ou Atendimento ao Cliente. É necessário que haja uma mudança generalizada em toda a organização.

 

Então, onde é que a governança de dados entra em tudo isso? Está evidente que a ligação entre a transformação digital e a governança de dados é o fato de que, para realmente entender um cliente e construir os produtos ou serviços com os quais ele se envolve é preciso uma sólida análise de dados para a tomada de decisões.

 

Para garantir que as decisões tomadas nas análises de dados estejam corretas, elas devem ser baseadas em dados confiáveis, consistentes e repetíveis. Para atingir esse nível de confiança nos dados e usá-los de maneira significativa, a governança de dados é importante. Quando as pessoas, processos e dados de uma organização são alinhados por meio de uma estratégia de governança de dados eficaz, há clareza e confiança nos dados produzidos, que subsidiam as melhores decisões tomadas dentro da organização.

 

Pense nisso: se uma empresa não tem uma visão precisa do cliente, como ela pode personalizar as ofertas para ele? Como pode resolver problemas de suporte ao cliente rapidamente, se não tiver informações adequadas sobre os produtos que o cliente possui?

 

Do ponto de vista comercial, investir tempo na solução de problemas do cliente quando, por exemplo, a área de atendimento não sabe que um acordo de suporte ao cliente expirou ou está na lista de negra de devedores, gasta tempo e recursos.

 

Uma estrutura robusta de governança de dados, apoiada com as ferramentas certas e pessoas capacitadas, é fundamental para garantir que esses desafios sejam atendidos e, ao perceber o valor dos dados dentro da organização, permite que os negócios encantem seus clientes.

 

A maioria das empresas aborda a governança de dados do ponto de vista da obtenção de políticas e definições corretas para que os dados sejam completos, precisos e, acima de tudo, consistentes. Normalmente, eles decidem que precisam agir, formam uma equipe de projeto, optam por comprar um produto e depois iniciam seu programa de trabalho.

 

No entanto, existem muitos desafios na execução de um projeto dessa natureza. Acreditamos que ele é construído em torno de três componentes principais: os processos certos, a tecnologia certa e, o mais importante, as pessoas certas.

 

 Pessoas, Processos e Tecnologias

 

Os principais componentes para executar um programa de controle de dados

 

 

Desde a visão do gestor de TI até a abordagem do administrador de dados, trata-se de garantir que as pessoas certas sejam envolvidas e compraram a ideia por trás da estratégia e das políticas de governança de dados. O produto é apenas parte da equação.

 

 

Conclusão

 

O objetivo final é alcançar um patamar superior, de transformação da maturidade da governança da informação, onde as estratégias são completamente integradas à infraestrutura corporativa geral e aos processos de negócios, para ajudar a melhorar a contenção de custos, a vantagem competitiva e os serviços ao cliente.

 

Os desafios para estruturação e execução do seu projeto podem ser superados com o acompanhamento de uma consultoria experiente, para desenvolver uma estratégia e um planejamento adequados, que oriente tanto as decisões referentes às soluções técnicas e conceituais, visando atender as necessidades corporativas, com o melhor retorno sobre o investimento. Consulte-nos.

 

Não deixe de ler os outros textos de nosso blog, onde abordamos vários assuntos relacionados a BI, BA, MDM e governança de dados e saiba como as organizações estão se beneficiando com esses recursos.

  

 

Baixe nossos eBooks gratuitos:

Clique nas imagens para baixar

  

eBook Integração de Dados

 

eBook: A evolução do Business Intelligence para o Business Analytics"

eBook 2: Tipos de gráficos para Business Analytics 

eBook 3: Entendendo o Master Data Management

eBook 4: Governança de dados